Conto: INVOCAÇÃO (Parte 1 de 2)

rebeliaoContoJá há muitos dias a tempestade se tornava cada vez mais causticante; o ar estava pesado, saturado de fluidos pestilenciais que dificultava a respiração. O zimbório celeste era de um negrume horripilante. A noite castigava, raios voejavam em todas as direções se chocando com os edifícios. Qual não foi o espanto quando o relógio já marcava próximo do meio-dia e a luz do sol não dava mostras de sua presença beatífica.

Pessoas andavam por todos os lados não entendendo o que estava ocorrendo. Apesar de amanhecer apenas no relógio a escuridão ainda era total. Não se ouvia o gorjear dos pássaros, somente a turba de transeuntes que ocupavam as ruas em discussões estéreis sobre o que estava acontecendo. Já no final do dia a tempestade diminuía consideravelmente, o tempo oferecia uma tranqüilidade momentânea.

Enquanto isso, do outro lado da cidade alguém caminhava por um beco escuro, poças de água eram espirradas a cada passo, e por onde passava a escuridão era ainda maior. Ratos deslizavam pelos cantos do beco passando por cima de mendigos que se protegiam do frio e da chuva que já cessara.

Um mendigo que acabava de acordar deu uma pequena espiada sobre seus trapos imundos. O que ele vê deixou-o estarrecido, todos os seus pelos se eriçaram,  fazendo com que seu coração parasse de bater, deixando o corpo inerte. A visão congelada em sua íris era de um ser envolto em nuvem negra a ponto de não ser possível ver nada além de seus pés.

No subúrbio um grupo de homens guardavam alguns símbolos místicos e saiam encapuzados por corredores secretos para a via pública, deixando  naquele ambiente um corpo mutilado por algum ritual maléfico.

Horas mais tarde em uma galeria nos subsolos, o mesmo grupo, se reunia a espera de alguém. A impaciência era visível pelo tempo que estavam ali. Era possível observar as tochas tremulando e as sombras dos presentes dando um ar mais terrível.  De forma irresistível, todos lançaram-se ao chão, gritando de forma lacinante, como que sentindo uma dor imensurável. Rolavam e debatiam-se estrepitosamente.

Apenas o que parecia ser o chefe permanecia de pé sem nenhum sintoma aparente. Olhando para a porta, onde estava parado a estranha figura, disse:

– Pare com isso, não foi por isso que eu te trouxe.

Nada se podia ver dela, a não ser uma escuridão que o envolvia.

Você terá que me obedecer. Disse o chefe tentando parecer firme.

A figura de escuridão, abriu a boca e dela saíram sons guturais, como que de trovões, gritos  lancinantes de dor ou coisa pior. Porém, uma frase foi inteligível, como expressando sua intenção.

Você me trouxe, mas eu tenho meus próprios propósitos, e um deles é o seu fim.

INVOCAÇÃO foi escrito por Marcel Herrero

Iniciativa RAQ

Iniciativa RAQ #1 – RITUAIS

Os Rituais são a Alta Magia para os Nefilim. São mais demorados e complexos que os Manifestos. Assim, criamos 01 Ritual exclusivo para cada uma das nove Linhagens, levando em consideração suas características, surgimento e os hábitos específicos que cada uma é dotada. Colocamos a mecânica de jogo, mas ela pode ser modificada como vocês acharem melhor. Lembramos também que para aquisição dos mesmos deve-se levar em consideração as regras do livro-base RAQ. Este material foi elaborado pela Iniciativa RAQ #1 [Novos Rituais].
Ritual da Visão de Rá
Este ritual foi criado por Hasan Al-Aziz em sua permanência no Egito quando encontrou um manuscrito que trazia conhecimentos há muito esquecidos sobre o Deus Sol Rá – O Olho que Tudo Vê. Este ritual permite a um Nefilim olhar através da visão de alguém [ver o que o outro vê] que já tenha tido contato físico.
O Nefilim para realizar o ritual precisa desenhar em um espelho de cobre o Olho de Rá com um giz de carvão molhado. É necessário que o Nefilim canalize suas energias místicas para o espelho para que a visão de Rá se abra, e ele consiga olhar o que o outro observa.
Para a manutenção do ritual é importante a preparação de um ambiente que penetre a luz solar, exalando incenso de absinto, que favorece a clarividência – além de 1 hora de meditação. Tendo um sucesso em um Teste de WILL o Nefilim poderá ver até 1d3 rodadas através do Olho de Rá. Este Ritual é muito utilizado pela linhagem dos Acólitos.
Ritual do Devoto
Este ritual é utilizado pela linhagem dos Primais devido a sua simpatia pelos animais. Com este ritual o Nefilim consegue utilizar seu animal como espião.
Para o ritual é necessário que o Nefilim extraia um pouco do sangue do animal e coloque em uma tigela de prata com o Menorá [candelabro de sete braços judaico] sobre ela. E deve recitar a missão que o animal deverá realizar.
Deverá obter 2 sucessos nos testes de WILL. O primeiro para que o animal realize a missão. O segundo para obter as informações coletadas pelo animal. O segundo teste deverá ser realizado pelo mestre escondido do jogador. Após o segundo sucesso nos testes, as respostas surgirão em sua mente bebendo o sangue da tigela. O Mestre define quais são as informações dadas pelo animal, e se o Nefilim obtiver um fracasso nos testes as informações poderão ser falsas.
Este ritual só pode ser realizado pelos Primais.

Seguindo com o material da Iniciativa RAQ, escolhemos o primeiro tema – os Rituais. Aqui estão alguns rituais elaborados exclusivamente para cada uma das 9 Linhagens dos Nefilim. Levamos em consideração algumas características, histórias, hábitos de cada uma delas. A mecânica de jogo pode ser alterada conforme queira. Os rituais podem ser baixados em pdf.

link: Iniciativa RAQ #1 – Novos Rituais.pdf

Ritual da Visão de Rá

Este ritual foi criado por Hasan Al-Aziz em sua permanência no Egito quando encontrou um manuscrito que trazia conhecimentos há muito esquecidos sobre o Deus Sol Rá – O Olho que Tudo Vê. Este ritual permite a um Nefilim olhar através da visão de alguém [ver o que o outro vê] que já tenha tido contato físico.

O Nefilim para realizar o ritual precisa desenhar em um espelho de cobre o Olho de Rá com um giz de carvão molhado. É necessário que o Nefilim canalize suas energias místicas para o espelho para que a visão de Rá se abra, e ele consiga olhar o que o outro observa.

Para a manutenção do ritual é importante a preparação de um ambiente que penetre a luz solar, exalando incenso de absinto, que favorece a clarividência – além de 1 hora de meditação. Tendo um sucesso em um Teste de WILL o Nefilim poderá ver até 1d3 rodadas através do Olho de Rá. Este Ritual é muito utilizado pela linhagem dos Acólitos.

Ritual do Devoto

Este ritual é utilizado pela linhagem dos Primais devido a sua simpatia pelos animais. Com este ritual o Nefilim consegue utilizar seu animal como espião.

Para o ritual é necessário que o Nefilim extraia um pouco do sangue do animal e coloque em uma tigela de prata com o Menorá [candelabro de sete braços judaico] sobre ela. E deve recitar a missão que o animal deverá realizar.

Deverá obter 2 sucessos nos testes de WILL. O primeiro para que o animal realize a missão. O segundo para obter as informações coletadas pelo animal. O segundo teste deverá ser realizado pelo mestre escondido do jogador. Após o segundo sucesso nos testes, as respostas surgirão em sua mente bebendo o sangue da tigela. O Mestre define quais são as informações dadas pelo animal, e se o Nefilim obtiver um fracasso nos testes as informações poderão ser falsas.

Este ritual só pode ser realizado pelos Primais.

rituais_RAQ1

rituais_RAQ2

Ritual da Invocação do Ancestral

Este ritual de Alta Magia permite ao Nefilim invocar um espírito Xamã para conselhos referentes à simbologia, ocultismo, e outras ciências místicas. A invocação do ancestral é utilizada somente pela linhagem dos Guardiães, cultuadores do conhecimento.

Para realizar o ritual é necessário que o Nefilim jejue por 1 dia [apesar deles não necessitarem de alimentos]. A escolha do ambiente neste ritual é muito importante para obter o resultado desejado – aconselha-se que seja em meio a natureza. Devem ser ascendidas quatro tochas a sua volta, em um circulo feito de terra, marcando os quatro pontos cardeais. O Nefilim também deverá cobrir seu corpo com pinturas indígenas feita de urucum e entoar um canto indígena.

Obtendo um sucesso em um Teste de WILL o Xamã aparecerá e responderá até 1d4 perguntas feitas pelo invocador. Caso obtenha um fracasso no teste o espírito roubará parte de sua energia mística – o Xamã requererá isso como recompensa pelo fracasso da invocação – impedindo-o de recuperar seus pontos de Maná na proporção de 1 para cada hora, e sim 1 ponto de Maná para cada 2 horas por um dia.

É importante ter cuidado neste ritual, pois os resultados poderão ser extremamente perigosos para o conjurador.

Ritual de Proteção Tiahuanaco

Desenvolvido pelo Venerável Carlos Fuertes de La Rosa em seus estudos pelos Andes. O ritual consegue proteger um alvo de ataques mentais [pessoa] ou ataques físicos [local ou objeto].

Para conjurar o ritual é necessário que o Nefilim esteja em um local alto e aberto [uma montanha ou no alto de um prédio]. Deve ser construído um círculo de pedras com diâmetro de 30 cm e colocado no centro um pequeno monolito, que não deverá ser retirado enquanto se desejar a proteção. O Nefilim deverá utilizar sua energia mística para vincular o alvo que irá proteger ao monolito e terá a duração de pelo menos 1 hora [objeto]; uma pessoa ou local pode demorar mais. Fazendo isso, a proteção só será quebrada com a destruição do monolito ou retirada do mesmo do círculo.

Para proteção de lugares, serão necessários no mínimo 2 Nefilim.

Ritual da Transmutação de Khemia

Inspirado na Alquimia e no uso das vibrações na transmutação da matéria, a arte de alterar a estrutura física. Os Nefilim neste ritual podem trocar, utilizando a lei das compensações, um objeto de ouro [elemento químico mais perfeito para os alquimistas] com algum objeto que já tenha tido contato físico.

Para a realização deste ritual será necessário desenhar no chão um círculo de transmutação e possuir um objeto de ouro que será colocado no centro do círculo. Após uma hora de concentração e um sucesso no  teste de WILL o objeto se materializará no lugar do objeto de ouro. Utilizado pela Linhagem dos Bastardos.

Ritual do Emblemático Houdini

Com este ritual o Nefilim consegue se libertar de algemas, correntes, cordas ou cadeados. Este ritual é utilizado somente pelos Guerrilheiros e necessita apenas de um feticheverbal. Apesar de parecer um ritual simples, é necessária muita concentração e 1 hora para a realização, pois o ritual fará com que as algemas, etc., se desmaterializem libertando-o assim.

Ritual da Trombeta de Aralim

Este ritual é utilizado para proteção de algum objeto ou local. O conjurador ouvirá o som de trombetas quando o local protegido for invadido ou objeto roubado.

O objeto ou local deverá ser marcado com o sangue do conjurador escrevendo seu próprio nome. Ao terminar de escrever irá recitar em latim um pedido de aviso e com um sucesso em um teste de WILL o nome escrito a sangue desaparecerá fazendo com que a Trombeta de Aralim seja ativada.

Este ritual somente poderá ser utilizado por Paladinos. E também poderá ser detectado pela Linhagem.

Ritual do Fantoche de Chasmael

Este ritual é utilizado somente pelos dominadores Precursores, que gostam de manipular os seres humanos.

Com este ritual o Nefilim consegue sugestionar uma pessoa, mesmo ela estando a quilômetros de distância. É necessário a utilização de qualquer objeto da pessoa, até mesmo um fio de cabelo para que o ritual seja realizado.

A sugestão será atendida de imediato, antes mesmo do alvo saber o que está fazendo. O Alvo poderá fazer um teste de resistência. Caso fracasse irá obedecer ao comando.

Para realizar o ritual o Nefilim precisará fabricar um vodu colocando o objeto pessoal no mesmo. Em um recipiente com leite o vodu deverá ser mergulhado durante uma hora e só depois, a sugestão deverá ser feita. Com um sucesso em um Teste de WILL e um fracasso no Teste de Resistência a sugestão será atendida.

Ritual do Transe Profético

A profecia é um panorama ou quadro cósmico elaborado, colorido, acompanhado e interpretado por Arc’Anjos, ou seja, seres espirituais da mais alta estirpe. As mensagens e revelações contêm linguagem figurativa, que sugere as realidades em torno e por trás da experiência futura.

Ao realizar este ritual, entrando em transe profético, o Nefilim penetra as Noures – correntes de pensamento dos Arc’Anjos – conseguindo captar vislumbres de um possível futuro.

Para a realização do ritual o Nefilim necessita estarsozinho em um ambiente lúgubre munido de material básico de pintura [papel, caneta, lápis, tinta, etc.]; deve-se queimar mirra, e concentrado, precisa projetar sua mente para captar as Noures. Este ritual é muito perigoso, pois o conjurador será considerado invasor dessas correntes, e descoberto poderá ser caçado.

Com um sucesso em um Teste de WILL ele entra em transe e desenha um quadro do futuro, com a mensagem escolhida pelo Mestre em forma: de pintura, de gravura, etc. Este ritual poderá ser realizado somente pelos Visionários.

logo iniciativa RAQ10

Iniciativa RAQ #1 – Rituais

Elaborado por Flauberth e Marcel

  • Calendário

  • Pesquisar